Mãe: amor incondicional

Neste dia em que se comemora o dia das mães ( e já esta quase terminando ) eu pensei muito sobre o que é de fato ser mãe. Me lembrei de alguns relatos que mães ja me contaram, sobre o que fizeram pela vida de seus filhos, o quanto ja sofreram para que eles pudessem viver ou de que modo superaram as próprias fraquezas ou foram além das forças que tinham e se fizeram mais fortes do que jamais imaginaram, para proteger ou salvar seus filhos.

Fiquei pensando naquelas mães que ja deram algum órgão do próprio corpo para salvar a vida de seus filhos, ou então correram risco de vida, para que seus filhos pudessem viver.

Em meio a tudo isso, me lembrei de uma canção que minha mãezinha gravou a anos e anos atrás e que fala sobre uma mãe que havia entrado na própria casa que estava em chamas, para resgatar seu bebezinho que estava la dentro. Quando minha mãe estava ensaiando essa canção para gravar, ela queria que alguém cantasse junto com ela, fazendo a segunda voz, para ela poder ensaiar o dueto que ela faria na gravação daquela canção. E me chamou para cantar com ela. Fui.

A letra da canção relata tão claramente o sofrimento daquela mãe que na metade da canção eu comecei a chorar e não consegui mais cantar. Eu chorava copiosamente sem conseguir parar, imaginando aquela mãe toda queimada, praticamente deformada por haver praticado a ‘loucura’ de salvar seu filhinho das chamas naquele incêndio que tomara sua casa. Eu chorei, chorei, chorei. Minha mãe se espantou , porque eu era ainda muito pequena para compreender isso. Eu tinha não mais que 8 ou 9 anos, na época. Ao cantar junto com a minha mãe fazendo aquele dueto, eu comecei a ver na minha mente, aquela mãe desesperada, entrando na casa que pegava fogo e saindo de la com o bebezinho são e salvo, todo enrolado em panos e bem coberto para que as labaredas não o atingissem e a mãe totalmente ferida.

Anos depois, esse filho, ja rapaz, se sente envergonhado pela feiura da mãe que ficou deformada pelas queimaduras e ao convidar amigos à sua casa, apresenta sua mãe como uma empregada. Aquilo fere profundamente o coração daquela mãe tão devotada e amorosa. Então, um dia ela decide contar ao filho porque ela tinha todas as deformidades no corpo. Ao final do relato, o rapaz, aos prantos, pede perdão à sua mãe por have-la rejeitado antes e ambos se abraçam perdoando-se. Ao final da canção, a letra faz um paralelo entre esse acontecimento e Jesus que tanto sofreu por nós a ponto de morrer em nosso lugar e aquela mãe que correu risco de vida pelo seu filho tão querido.

Por que eu chorei naquela época ? Porque mesmo com pouca idade eu consegui imaginar a punhalada no coração daquela mãezinha, quando seu filho a rejeitava por não ser bonita, ou perfeitamente bela, mas por trazer no corpo, as marcas de todo o sofrer. Mas hoje em dia, eu ainda choro. Choro por pensar em quantos filhos não valorizam suas próprias mães e até mesmo as rejeitam, desprezando seus conselhos de amor, suas orientações cheias de sabedoria e fazendo pouco caso dos cuidados que as mães cheias de amor lhes dedicam.

Sempre escuto a frase: “ Valorizem sua mães enquanto ainda as têm, porque depois que se vão, é tarde demais para tentar recuperar o tempo perdido.”  Não tenho como não concordar. Eu concordo com isso. Concordo totalmente ! E por isso reforço essa dica. Amem suas mães, valorizem suas mãezinhas, dediquem afeto sincero a elas, gastem tempo com elas, nem que seja um pouquinho por semana ….. para que, quando elas se forem deste mundo, vocês não tenham o que lamentar, mas apenas dizer: Eu amei minha mãe, tanto quanto pude.

Que todas as mães se sintam amadas e queridas, que todas as mães se sintam valorizadas e admiradas. Que todas recebam de seus filhos, todo o amor que as mães merecem e o reconhecimento cheio de gratidão daqueles por quem elas dariam a própria vida, sem pensar duas vezes.

A MINHA ORAÇÃO É ESTA NO DIA DE HOJE ….. Que todas as mães sejam amadas por seus filhos, e se sintam queridas por eles, para que sendo honradas por cada um, tenham a alegria de poder dizer: “ Quanto orgulho tenho dos meus filhos !”

E assim, amando e sendo amadas, todas as mães poderão ter não apenas um dia ou dois, uma semana ou duas, mas todos os dias felizes ….. e a frase ‘feliz dia das mães’ sera uma frase de todos os dias, com sinceridade, cheios de amor.

 

Anúncios

Sobre Léia Miranda

Filha do Deus Altissimo, irmã dos meus irmãos em Cristo, mãe de muitos na Fé e uma simples mulher
Esse post foi publicado em Léia Miranda. Bookmark o link permanente.

6 respostas para Mãe: amor incondicional

  1. Ricardo disse:

    Parabéns, Léia pela mensagem. Feliz dia das mães! Hoje também é o dia das mães!

  2. Anna Bispo disse:

    Amei!! Que o Senhor assim permita em nossas vidas!

  3. Antonio S Santos disse:

    Fiquei sabendo da sua separação, meu Deus! quem perdeu essa pessoa linda, maravilhosa deve esta sofrendo muito..

  4. geysa de oliveira castro disse:

    Desde pequena ouço as suas canções pois é mui linda, e muito especial para mim, que Jesus vos abençoe ricamente, abraço amo sua musicas sou da igreja universal de campos dos goytacazes ,amo paizinho caminheiro ..perdi meuáo minha mae mas ouço suas musicas fico feliz ..

  5. Marta Alves Batista Espíndula disse:

    amo suas cançoes,ouço desde pequena, que deus te abençoe

  6. ANTONIA JOSIENE PEREIRA DA SILVA XAVIER disse:

    VERDADE. SER MÃE É UMA DÁDIVA.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s